quarta-feira, 30 de outubro de 2013

CRM do Piauí cancela registro de 19 médicos estrangeiros no estado

O Conselho Regional de Medicina do Piauí cancelou nesta terça-feira (29) o registro profissional dos primeiros 19 médicos estrangeiros que chegaram ao estado. Segundo o CRM, o Ministério da Saúde (MS) perdeu o prazo de 15 dias para informar o local de desempenho das atividades, além de comunicar formalmente o tutor acadêmico e o supervisor dos profissionais médicos intercambistas.
“A prazo não foi respeitado e o conselho tomou essa atitude. Na prática eles não devem parar de atender porque o ministério deve expedir diretamente registros para esses profissionais, como foi feito com os outros médicos que chegaram posteriormente. Tudo se dará pelo MS, sem atuação do CRM. É o que deve acontecer”, afirma Emmanuel Fontes, presidente do conselho.
Manoel Fontes, do CRM-PI, disse que cassação é irrevogável (Foto: Yara Pinho/G1)Emmanuel Fontes, do CRM-PI, disse que cassação
é irrevogável (Foto: Yara Pinho/G1)
Ele diz ainda que a ação do CRM já era esperada, pois desde o início o conselho não concordava com esse registro e que a autorização provisória foi uma decisão imposta pelo Ministério da Saúde. “O MS não fez nenhum pedido aos conselhos, mas impôs que esses registros fossem expedidos. Esse cancelamento é uma decisão irrevogável”, diz.
Além do cancelamento das licenças para atuação, Fontes denunciou falhas no atendimento de alguns estrangeiros no Piauí. “Eles desconhecem um remédio como o captopril que serve para o tratamento de hipertensão, medicamento básico utilizado no SUS (Sistema Único de Saúde). Isso é uma ameaça para a população pobre que vai ser atendida por esses profissionais. Temos que alertar a sociedade para esse perigo. O CRM não se responsabiliza por erros que esses profissionais possam vir a cometer. Essa responsabilidade é totalmente do Ministério da Saúde”, afirma Emmanoel.

A cassação dos registros dos profissionais estrangeiros não atinge os 27 médicos cubanos que chegaram ao estado no domingo (27). Estes receberam a autorização para trabalhar diretamente do Ministério da Saúde.

As assessorias de imprensa do MS no Piauí e em Brasília foram procuradas para comentar a atitude do CRM, mas ninguém foi encontrado.
  •  
Médicos estrangeiros participam de oficina de acolhimento em Teresina (Foto: Catarina Costa/G1)Em setembro, médicos estrangeiros chegaram a participar de oficina em Teresina (Foto: Catarina Costa/G1)









Fonte G1 

Jovem morre com espinha de peixe na garganta Foto: Teixeira News

Teixeira de Freitas - Mais um caso aparente de negligência médica ocorrido no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF), acaba de abalar ainda mais a estrutura da saúde pública na região.

A vítima foi o jovem Jeferson Neves Santos, de apenas 18 anos, morador da Fazenda Boa Esperança, distante cerca de 9 quilômetros do distrito de São José, interior do município de Alcobaça. Familiares do rapaz dizem que o mesmo engasgou-se com uma espinha de peixe no sábado do último dia 21 deste mês de outubro, quando queixando-se de fortes dores acabou sendo socorrido ao Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF).

Sem saber precisar o nome do médico de plantão no dia do atendimento, familiares do jovem dizem que mesmo afirmando estar engasgado, o rapaz foi aconselhado pelo profissional para voltar para casa. Segundo o tio de Jeferson, Manoel Conceição Santos, durante toda a semana passada o jovem sofreu com as insuportáveis dores, tendo inclusive retornado ao HMTF. “Eles [médicos] sempre diziam que meu sobrinho tinha que voltar para casa. Deixaram o menino morrer praticamente sem atendimento”, desabafa.

Ainda segundo o senhor Manoel, na terça-feira (22) os médicos teriam informado que o jovem engasgado teria que fazer uma endoscopia, já que somente com o resultado do exame seria possível identificar o local exato onde estava fixada a espinha. O problema, alega a família, que o procedimento, normalmente simples, não foi feito no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF).

E neste último domingo (27), Jeferson Neves Santos, de 18 anos, gritando de dores, acabou não resistindo e veio a óbito. O tio Manoel, que fez a retirada do corpo no IML de Teixeira de Freitas nesta segunda-feira (28) ainda disse que a família pensou em fazer a endoscopia em um hospital particular, mas as condições financeiras não permitiram. Até uma equipe do SAMU esteve na casa do rapaz engasgado, mas como a espinha ficou agarrada fora da área visual da garganta, pouco ou nada conseguiu fazer.

A família afirma que teria havido negligência por parte do Hospital Municipal de Teixeira de Freitas. No Departamento de Polícia Técnica de Teixeira de Freitas (DPT) onde foi realizado o exame de necropsia ficou comprovado que a espinha estava nas proximidades do esôfago e que o jovem Jeferson morreu por anemia aguda, pois perdera muito sangue. O tio do rapaz morto ainda contou que o sobrinho tinha dificuldade de fazer sua alimentação e durante a semana passada se alimentava apenas de líquidos.

Sindicância

Como sempre acontece a direção do Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF), bem como a secretaria municipal de Saúde, não têm como regra apurar esse tipo de acontecimento e a hipótese mais provável é que Jeferson Neves Santos, de 18 anos, por ser pobre, entre apenas nas estatísticas da falência do sistema público de saúde no Brasil.

É bom salientar que o prefeito de Teixeira de Freitas, João Bosco Bittencourt (PT) é médico.
Por Ronildo Brito / TeixeiraNews

Mães que perderam seus bebês fazem protesto em frente a maternidade no Rio

terça-feira, 29 de outubro de 2013

MP investiga estupro dentro da UTI de um hospital no Rio




O Ministério Público Estadual (MP-RJ) e a Polícia Civil do Rio de Janeiro investigam uma suspeita de estupro no Hospital Municipal Pedro II, em Santa Cruz, Zona Oeste do Rio. Uma jovem de 21 anos teria sido violentada por um técnico de enfermagem dentro da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Ela se recuperava de uma série de cirurgias a que foi submetida após complicações em uma cesariana, que obrigaram a retirada de seu útero, das trompas e dos ovários.
O caso só chegou ao conhecimento do MP durante vistoria realizada em maio passado, que deu origem a um relatório obtido com exclusividade pelo site de VEJA. O Grupo de Atuação Integrada da Saúde, composto por médicos e promotores, estranhou ao encontrar a vítima internada na chamada Sala Vermelha - local da emergência, onde devem ser feitos apenas os primeiros atendimentos de pacientes graves. A jovem apresentava quadro de miocardite (inflamação no músculo cardíaco) e deveria estar na UTI.
A primeira providência a ser tomada, portanto, seria a transferência da paciente de volta ao centro intensivo. Ao saber da mudança, porém, uma acompanhante contou à equipe que ela teria sofrido abusos sexuais dias antes na UTI e, portanto, não queria retornar para lá. "A paciente estava visivelmente angustiada", relatam os promotores na denúncia. O grupo de peritos providenciou, então, a transferência da vítima ao Hospital Municipal Ronaldo Gazolla, em Acari, na Zona Norte da cidade.
Assim que a história veio à tona, outros parentes da jovem prestaram depoimentos na 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Saúde e confirmaram a história do estupro contada por ela - que não depôs, em um primeiro momento, por estar ainda debilitada. O MP encaminhou, então, o relatório à Promotoria Criminal de Santa Cruz, que pediu abertura de inquérito à 36ª Delegacia de Polícia, no mesmo bairro.
O hospital - Apesar de ser municipal, o Pedro II teve a gestão terceirizada em janeiro de 2012 para a Biotech Humana Organização Social de Saúde, que receberá 275 milhões de reais por dois anos de atuação. Procurada pelo site de VEJA, a empresa admitiu ter tomado conhecimento da suspeita de um crime hediondo dentro da sua UTI, mas preferiu dar apenas encaminhamento interno.
Em vez de comunicar à polícia sobre o caso, o hospital limitou-se a afastar o técnico de enfermagem e instaurar sindicância interna. Em nota, a responsável pelo Pedro II diz que ainda não encontrou "indícios de culpabilidade" e que "enquanto não houver real responsabilidade pela ação, não acionará a polícia". Cinco meses após a denúncia por parte do MP, a administração da unidade de saúde diz aguardar ainda o depoimento final do acusado.
A Secretaria Municipal de Saúde, principal responsável por fiscalizar os atendimentos prestados pela Biotech no Pedro II, afirma que não foi informada sobre o caso e ficou sabendo da suspeita somente ao ser procurada pela reportagem.
Recentemente, outro caso de estupro semelhante chocou a população do Rio. Em maio, um técnico de enfermagem do Hospital Quinta D'Or, em São Cristóvão, na Zona Norte, foi acusado de abusar sexualmente de duas pacientes também na UTI. Imagens do circuito interno mostravam Brivaldo Francisco Xavier Júnior entrando 20 vezes em 12 horas em um dos leitos sem que nenhum procedimento fosse feito. Demitido por justa causa, ele se entregou à Polícia Civil e foi indiciado por estupro de vulnerável.
Mais irregularidades - A vistoria no Pedro II pelo MP ocorreu em dois dias este ano: 9 de maio e 28 de junho. E apesar de o estupro ser de longe o caso mais grave, não é o único que impressionou os promotores. O relatório aponta ainda falta de médicos, superlotação das salas Amarela e Vermelha e pacientes com doenças contagiosas - como tuberculose - internados ao lado de pessoas com outras enfermidades sem qualquer isolamento para evitar o contágio.
A equipe ainda viu um paciente com sinais de traumatismo craniano que esperava atendimento havia duas horas, deitado em uma maca, em frente ao posto de enfermagem. Os médicos disseram estar à espera da avaliação de um neurologista que fazia uma cirurgia naquele momento. A equipe descobriu, contudo, que o especialista sequer havia sido chamado. Exames indicaram que o homem tinha fraturas cervical e no úmero (osso do braço).
O Pedro II é referência para moradores dos bairros de Santa Cruz, Paciência e Sepetiba, que juntos somam 368.000 habitantes, segundo o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Destruído durante um incêndio em novembro de 2010, o hospital foi reconstruído e equipado com aparelhos de última geração – o orçamento inicial era de 80,6 milhões de reais.

domingo, 27 de outubro de 2013

Manifestação contra Erros e Negligências Médicas

Nesta manhã do dia 26/10/2013 sábado às 10 horas , aconteceu a
manifestação contra a negligência médica cometido às gestantes, que levou à morte de vários bebês pela Maternidade Maria Amélia Buarque de Hollanda no Centro do Rio e de casos de outras maternidades .





https://www.facebook.com/media/set/?set=a.746294598718690.1073741845.100000144702834&type=1



domingo, 20 de outubro de 2013

A Grande Reportagem denuncia a "rede do atraso" no Samu

Mulher perde bebê durante parto em Bangu (RJ)

Casal procura Defensoria Pública para denunciar erro médico durante parto

http://globotv.globo.com/tv-morena/mstv-2a-edicao-campo-grande/v/casal-procura-defensoria-publica-para-denunciar-erro-medico-durante-parto/2898695/

Idosa vítima de erro médico está em estado grave

Cecília Maria Camargo Rocha, de 84 anos, foi vítima, ontem, de um erro de procedimento médico no Hospital Beneficência Portuguesa. Ela recebia alimentação por meio de uma sonda e a comida foi parar no pulmão. A idosa, internada havia dois meses por causa de uma pneumonia, receberia alta assim que se alimentasse.
A diretora do hospital, Natalina Correia Leite, admitiu que houve um erro, porém tratou o assunto como uma fatalidade. “Pode ter acontecido algum deslocamento na sonda, pois a paciente já passou por traqueostomia. A equipe de enfermagem tem mais de 20 anos de casa”, diz.
Segundo Maria Lúcia Rocha Lins, filha da paciente, o médico afirmou que o erro foi das técnicas de enfermagem. “Se elas tivessem alguma dúvida, que chamassem a enfermeira-chefe”, diz a mulher, que pretende acionar o hospital na Justiça.


Decisão
Uma reunião com os médicos estava marcada para a tarde de ontem. A reportagem tentou entrar em contato inúmeras vezes com a assessoria de imprensa do hospital, porém, até o fechamento da reportagem, às 18h30, não obteve resposta sobre o que foi decidido em relação à equipe médica que atendeu a paciente e cometeu o erro.
No último boletim, o estado de saúde da idosa era estável. Ela respirava sem ajuda de aparelhos.

Fonte:
Cecília Maria Camargo Rocha, de 84 anos, foi vítima, ontem, de um erro de procedimento médico no Hospital Beneficência Portuguesa. Ela recebia alimentação por meio de uma sonda e a comida foi parar no pulmão. A idosa, internada havia dois meses por causa de uma pneumonia, receberia alta assim que se alimentasse.
A diretora do hospital, Natalina Correia Leite, admitiu que houve um erro, porém tratou o assunto como uma fatalidade. “Pode ter acontecido algum deslocamento na sonda, pois a paciente já passou por traqueostomia. A equipe de enfermagem tem mais de 20 anos de casa”, diz.
Segundo Maria Lúcia Rocha Lins, filha da paciente, o médico afirmou que o erro foi das técnicas de enfermagem. “Se elas tivessem alguma dúvida, que chamassem a enfermeira-chefe”, diz a mulher, que pretende acionar o hospital na Justiça.
Decisão
Uma reunião com os médicos estava marcada para a tarde de ontem. A reportagem tentou entrar em contato inúmeras vezes com a assessoria de imprensa do hospital, porém, até o fechamento da reportagem, às 18h30, não obteve resposta sobre o que foi decidido em relação à equipe médica que atendeu a paciente e cometeu o erro.
No último boletim, o estado de saúde da idosa era estável. Ela respirava sem ajuda de aparelhos.



Fonte:Araraquara.com

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Jovem de 13 anos morre após retirar dente do siso em Poços de Caldas

Uma infecção na gengiva descoberta após a retirada de um dente do siso pode ter causado a morte de uma adolescente de 13 anos em Poços de Caldas (MG). Thais Helena de Carvalho ficou internada 10 dias na Santa Casa da cidade, mas o quadro se agravou para uma infecção generalizada. A jovem não resistiu e morreu nesta quarta-feira (2).
Segundo a família de Thais, a jovem estava com uma infecção no dente do siso e foi ao dentista. Depois de extrair o dente, a menina teve febre e piorou. Ela foi levada para o hospital em Caldas (MG), onde morava com os pais, e depois foi transferida para a Santa Casa de Poços de Caldas.
De acordo com a diretora clínica do hospital, Francisca Barreiro, a adolescente chegou com um quadro grave de infecção na gengiva. “No início ela teve melhora e passou alguns dias na pediatria, mas ela voltou a piorar, teve um quadro de infecção generalizada  e voltou para a urgência. Mesmo com o tratamento ela não resistiu”, diz.
O dentista que fez a extração do dente, Sérgio Bruzadelli, disse que a jovem se queixava de dores nos dentes e no rosto. Ele pediu alguns exames, porque naquele momento não era possível diagnosticar a periodontite, mas  percebeu que os dentes da garota estavam amolecidos.
Ainda segundo o dentista,como a menina dizia sentir  dor no local, ele fez a extração do siso, mas pediu para que a família buscasse ajuda médica, já que, na opinião dele, as dores relatadas pela garota não eram apenas por causa do siso.
Jovem de 13 anos morre após retirar dente do siso em Poços de Caldas (Foto: Reprodução EPTV / Marcelo Rodrigues)Jovem de 13 anos morre após retirar dente do siso em Poços de Caldas (Foto: Reprodução EPTV / Marcelo Rodrigues)
O cirurgião bucomaxilo facial Aluísio Ruellas fez o acompanhamento da adolescente na Santa Casa. Segundo ele, a infecção da boca se espalhou pelo corpo, mas não é possível afirmar que a infecção foi causada pela extração do dente.
“Acredito que a extração não tenha relação com a doença. O quadro de septicemia que nós vimos foi causado por uma doença periodontal generalizada. Esse quadro agudo se desenvolve muito rápido em adolescentes porque há um desequilíbrio hormonal”, afirma.
A adolescente foi enterrada no cemitério de Caldas nesta quinta-feira (3).

Fonte G1

Hospital Geral da Santa Casa é interditado pela Vigilância Sanitária no Rio

Medida foi tomada depois que a Vigilância Sanitária fez vistoria na unidade e considerou o local insalubre. Muitas irregularidades foram encontradas, como fezes de animais na cozinha e baratas por todos os lados.

http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/videos/t/edicoes/v/hospital-geral-da-santa-casa-e-interditado-pela-vigilancia-sanitaria-no-rio/2878913/

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Pai acusa hospital de morte da filha e retirada de rim sem autorização

A morte da jovem Fabiane da Silva Mesquita, de 25 anos, ocorrida na quinta-feira (3), é questionada pelo pai da paciente, que acusa um hospital de Guarulhos de erro médico durante cirurgia para extração de cálculo renal. O advogado Ademar Gomes pediu abertura de investigação policial e diz que vai pedir reparação judicial.
O G1 procurou o Hospital Stella Maris, em Guarulhos, na Grande São Paulo, e aguarda retorno. A equipe de reportagem também tentou falar com o médico responsável, que não atendeu as ligações.
Para Fabio Silva Mesquita, de 45 anos, pai da jovem, o hospital fez a retirada não autorizada de um rim da vítima durante um procedimento cirúrgico após a extração da pedra ter apresentado algum tipo de complicação.
O pai disse que a cirurgia a laser do cálculo estava marcada para 16h de 2 de outubro. "Depois da cirurgia, achei que ia encontrar ela bem, no quarto de hospital, mas não foi o que aconteceu. O médico disse que a cirurgia tinha sido um sucesso, mas que ela teria que ficar na UTI para repor o sangue perdido no procedimento. Ele pediu para voltarmos no dia seguinte", contou.
"No outro dia, liguei lá e me pediram para ir direto para o hospital com urgência, porque tinham feito uma outra cirurgia nela", disse Fabio. Segundo o pai, ele e sua família tiveram que aguardar três horas para poder visitar a filha e só puderam vê-la por volta das 15h desta quinta-feira.
"Minha filha tinha entrado linda no hospital, falando bem e andando, mas encontrei ela desfigurada no quarto", afirmou. De acordo com Fabio, o médico teria dito que Fabiane estava tomando medicamentos pesados e aguardava a chegada de um remédio, que viria de Taubaté.
"Eu queria ir atrás desse tal remédio, para agilizar o processo, mas ninguém sabia dizer que remédio era esse", disse. Fabio contou que voltou com a família para casa, mas que recebeu uma ligação do hospital por volta das 18h30 do mesmo dia, informando que sua filha havia morrido.
Ainda segundo Fabio, o médico responsável pela paciente teria tentado impedir que o corpo de Fabiane fosse levado para o Instituto Médico-Legal (IML) para perícia. De acordo com ele, foi constatada a falta do rim direito e a causa da morte teria sido hemorragia interna ocasionada pela perfuração de órgãos.
O advogado dos pais da vítima, Ademar Gomes, pediu a abertura de um inquérito policial sobre o caso junto ao 1º Distrito Policial de Guarulhos e a instauração de um procedimento administrativo com o Conselho Regional de Medicina (CRM) para apuração de responsabilidade. Ele disse que vai entrar com um processo de danos morais e materiais contra médicos do hospital.

Mãe quer explicação para morte da filha em maternidade municipal do Rio



Fonte R7

publicado em 25/03/2013

Após 7 horas, Câmara aprova texto principal da MP do Mais Médicos

Em uma sessão arrastada, com bate-boca e obstrução, a Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (8) o texto-base da medida provisória que criou o programa Mais Médicos. A votação durou 7 horas e 35 minutos devido às tentativas da bancada ruralista e da oposição de adiar a aprovação da matéria.
O presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) marcou para esta quarta (9) a análise de 13 destaques (propostas de exclusão de trechos da MP). Depois, a MP 621/2013 ainda vai à votação no Senado.
Minutos após a aprovação, já na madrugada, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, agradeceu aos deputados pelo resultado numa mensagem pelo Twitter. "Quero agradecer a Câmara pela aprovação do texto principal do #MaisMédicos pela manhã,a votação continua com os destaques", postou.
A sessão teve início por volta das 17h25 com anúncio de obstrução do DEM e do PPS. Os dois partidos apresentaram reiterados requerimentos pedindo a retirada da proposta da pauta.
Essa medida aniquila as entidades representativas, suprime as prerrogativas do Conselho Federal de Medicina, cria no Ministério da Saúde um verdadeiro AI-5, em que o governo define a grade curricular para formação de médicos e especialistas"
Ronaldo Caiado (GO),
médico e líder do DEM na Câmara
Para o líder do DEM, Ronaldo Caiado (GO), que é médico, a medida retira a autonomia dos conselhos de medicina, não garante qualidade no atendimento médico e não respeita os direitos trabalhistas na contratação de profissionais estrangeiros.
"Essa medida aniquila as entidades representativas, suprime as prerrogativas do Conselho Federal de Medicina, cria no Ministério da Saúde um verdadeiro AI-5, em que o governo define a grade curricular para formação de médicos e especialistas, passa a ter o controle total para manipular aquilo que é de acordo com seu interesse", afirmou Caiado da tribuna na Câmara.
Depois de 40 anos o Brasil discute e vai aprovar a modernização da medicina, a modernização da formação nos cursos de medicina"
Rogério Carvalho (PT-SE),
relator da MP 621/2013
O relator da matéria, deputado Rogério Carvalho (PT-SE) defendeu proposta dizendo que ela vai assegurar tratamento médicos em regiões pobres e melhorar a formação de novos profissionais. 
"Quero dizer que depois de 40 anos o Brasil discute e vai aprovar a modernização da medicina, a modernização da formação nos cursos de medicina.”
Mais obstrução
Por volta das 20h30, a oposição ganhou o apoio da bancada ruralista nas tentativas de impedir a votação da MP.
Deputados que defendem os interesses de produtores e pecuaristas anunciaram que obstrução de todas as votações em plenário até que o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, instale uma comissão especial para analisar a proposta de emenda à Constituição (PEC) que dá ao Congresso a prerrogativa de decidir sobre demarcação de terras indígenas.
Após pressão de comunidades indígenas, que fizeram protestos no Congresso Nacional na semana passada, Alves decidiu adiar a instalação do colegiado.
A iniciativa da bancada ruralista chegou a gerar briga em plenário depois que o deputado Alceu Moreira (PMDB-RS) disse que a Câmara não cumpre o compromisso de criar a comissão por "medo de meia-dúzia de índios" e de "alguns vagabundos pintados".
Recém criado, o PROS, partido que se diz "aliado da presidente Dilma Rousseff" chegou a ensaiar uma obstrução. O líder da sigla, Givaldo Carimbão (AL), reclamou que o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, se reuniu nesta terça com líderes da base aliada, mas não procurou o PROS para tratar do assunto.

O líder do governo na Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), teve que entrar em ação para evitar que a bancada de 20 partidos abandonasse o governo na votação da MP. Ele entrou em contato com Padilha, que conversou por telefone com Carimbão. Após o diálogo, o deputado suspendeu a obstrução.
Info Mais Médicos V8 8.10 (Foto: Editoria de Arte/G1)
Registro
O relatório do deputado Rogério Carvalho (PT-SE), aprovado pelo plenário, autoriza o Ministério da Saúde a conceder registro provisório a médicos estrangeiros - ponto de maior divergência entre entidades que representam a classe médica.  Atualmente a concessão do registro é feita pelos conselhos regionais de medicina.

Para obter acordo com o Conselho Federal de Medicina, o relator da proposta, deputado Rogério Carvalho (PT-SE), incluiu na proposta a previsão de criação de uma carreira de Estado para os médicos, a ser implementada em três anos e regulamentada por meio de uma proposta de emenda à Constituição.
Da tribuna da Câmara, Caiado criticou o CFM por ter fechado acordo para aprovação da medida provisória. "Sinceramente não esperava essa postura de um presidente de um conselho, de trair toda a classe médica. A figura do traidor não foi perdoada nem por Jesus Cristo", afirmou.

De acordo com o governo, a transferência da prerrogativa de concessão de registro para o Ministério da Saúde é necessária para “acelerar” a atuação dos profissionais de saúde em áreas pobres do país.

De acordo com os ministros de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, e da Saúde, Alexandre Padilha, 300 dos 600 médicos de outros países que desembarcaram no Brasil para participar do programa estão recebendo remuneração sem trabalhar porque não conseguiram registro.
O texto-base votado na Câmara prevê também a exigência de revalidação do diploma de medicina para estrangeiros e brasileiros que concluíram o curso de medicina no exterior e queiram prorrogar a participação no programa de três para seis anos.

Pelo parecer, a revalidação não seria necessária para os primeiros quatro anos do programa. O texto original da MP, encaminhado ao Congresso pela Presidência da República, não estabelece qualquer exigência de revalidação. A exigência de prova para permanência superior a quatro anos foi fruto de negociação entre o governo e entidades médicas.
O programa
Lançado em 8 de junho deste ano pela presidente Dilma Rousseff, o programa Mais Médicos tem o objetivo de aumentar o número de médicos atuantes na rede pública de saúde em regiões carentes.

A proposta permite a vinda de profissionais estrangeiros ou de brasileiros que se formaram no exterior sem a necessidade de revalidação do diploma. Os profissionais receberão uma bolsa mensal de R$ 10 mil, mas não terão direito a direitos trabalhistas, como férias, 13º salário ou contribuição para o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.

O programa também prevê a obrigatoriedade de estudantes de medicina atuarem por dois anos no Sistema Único de Saúde. O período valerá como parte da residência médica.
09/10/2013 

Fonte: G1

SBT Jornalismo - Garoto de 11 anos é vítima de erro médico em Curitiba

SBT Jornalismo - Garoto de 11 anos é vítima de erro médico em Curitiba


Para ver a reprtagem é só clicar no título acima.


























































































domingo, 6 de outubro de 2013

Justiça ouve técnico de enfermagem acusado de estuprar pacientes no Quinta D'Or

Notícia publicada pela Assessoria de Imprensa em 04/10/2013 13:46
O juiz da 27ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), Flávio Itabaiana, realizou nessa quinta-feira, dia 3, audiência de instrução e julgamento (AIJ) do processo em que o técnico em enfermagem Brivaldo Xavier é acusado d...e estuprar pelo menos duas pacientes no CTI do Hospital Quinta D'Or, na zona norte da capital fluminense. Os crimes teriam acontecido em junho deste ano. O processo corre em segredo de justiça.
A audiência de instrução e julgamento teve início às 15h40 com o depoimento de cinco testemunhas de acusação e oito de defesa. Em seguida, foi a vez do interrogatório do réu.
De acordo com o juiz Flávio Itabaiana, em função da complexidade do processo, a acusação e a defesa optaram por apresentar as alegações finais por escrito. Após esta etapa, o juiz proferirá a sentença.
QUE SEJA FEITA A JUSTIÇA.
AMIGOS, ONDE TEM ALGUM ATO DE REPÚDIO E EU PUDER LEVAR A NOSSA BANDEIRA DE ERROS MÉDICOS ESTAREI PRESENTE.
SEMPRE EXISTIRÃO OS CONTRAS, MAIS ISSO NÃO ME ABALA, POIS SÓ SABE A DOR, QUEM POR ELA PASSA.
AS PESSOAS NÃO TEM NOÇÃO DO QUANTO O ERRO MÉDICO TÁ DESTRUINDO DIVERSAS FAMÍLIAS, A HORA É ESSA, VAMOS NOS UNIR CONTRA ESSES MAUS PROFISSIONAIS INTITULADOS MÉDICOS.
MOBEM-RJ/SP/PA- SE MOBILIZANDO CONTRA O ERRO MÉDICO, AJUDE-NOS A DIVULGAR NOSSAS LUTAS, NÃO SEJA VOÇÊ A PRÓXIMA VÍTIMA DOS MAUS PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE.
QUE NOSSA LUTA NÃO SEJA EM VÃO.
 

Fonte: TJRJ

Acusadas de injetar café com leite em veia de paciente vão responder a processo

Notícia publicada pela Assessoria de Imprensa em 04/10/2013 19:41
A 1ª Vara Criminal de São João de Meriti, do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), aceitou a denúncia, por homicídio culposo (sem intenção de matar), contra as técnicas de enfermagem e estagiárias acusadas de injetar uma dose de 40 ml ...de café com leite na veia de uma idosa de 80 anos, resultando na morte da paciente no dia 14 de outubro de 2012.
De acordo com a denúncia, a paciente estava internada com infecção renal na Unidade de Saúde Abdon Gonçalves, em São João de Meriti, na baixada fluminense. Poucos minutos após a infusão de café com leite, ela sofreu insuficiência respiratória aguda, além de taquicardia e pouca oxigenação no sangue. A idosa morreu quatro horas após ser transferida para o setor de pacientes graves.
As quatro denunciadas serão citadas para nomear advogados e apresentar defesa no prazo de 10 dias, respondendo ao processo em liberdade.
Processo 0026459-18.2013.8.19.0054
QUE SEJA FEITA A JUSTIÇA.
AMIGOS, ONDE TEM ALGUM ATO DE REPÚDIO E EU PUDER LEVAR A NOSSA BANDEIRA DE ERROS MÉDICOS ESTAREI PRESENTE.
SEMPRE EXISTIRÃO OS CONTRAS, MAIS ISSO NÃO ME ABALA, POIS SÓ SABE A DOR, QUEM POR ELA PASSA.
AS PESSOAS NÃO TEM NOÇÃO DO QUANTO O ERRO MÉDICO TÁ DESTRUINDO DIVERSAS FAMÍLIAS, A HORA É ESSA, VAMOS NOS UNIR CONTRA ESSES MAUS PROFISSIONAIS INTITULADOS MÉDICOS.
MOBEM-RJ/SP/PA- SE MOBILIZANDO CONTRA O ERRO MÉDICO, AJUDE-NOS A DIVULGAR NOSSAS LUTAS, NÃO SEJA VOÇÊ A PRÓXIMA VÍTIMA DOS MAUS PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE.
QUE NOSSA LUTA NÃO SEJA EM VÃO.
 

Fonte TJRJ

Paciente foi preparado para amputar a perna esquerda mas ficou sem as duas

Diabético, hipertenso e com deficiência renal crônica, Antônio César dos Santos Victorio, de 54 anos, morador de Austin, em Nova Iguaçu, está há dois meses internado no Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Uerj. Há duas semanas, os médicos comunicaram à família que precisariam amputar a perna esquerda do paciente, em função de uma ferida que não cicatrizava no calcanhar. Ontem, às 13h, após a cirurgia, ao receber o pai na enfermaria, Quezia Pereira Victorio, de 21 anos, entrou em desespero. Os médicos haviam amputado a perna direita, acima do tornozelo.
— A médica chegou dizendo que a operação havia sido um sucesso. Mas quando olhei, fiquei sem chão. Tinham amputado a perna errada. O ortopedista veio e disse para mim que haviam passado para ele que era a perna direita, que era o que constava nos exames de risco cirúrgico — conta Quezia. — O médico nos pediu muitas desculpas e disse que assumiria o erro.
Em seguida, levaram Antônio César novamente para o centro cirúrgico para amputar a perna esquerda. A segunda operação teve início às 16h, de acordo com a mulher do paciente, Luzinete Soares Reis Victorio, de 53 nos. Cerca de três horas e meia depois, ele foi levado para a UTI da unidade de Vila Isabel.
— Meu marido se trata no Pedro Ernesto há cerca de quatro anos. Os médicos que o acompanhavam na nefrologia sabiam que o problema era na perna esquerda. Não sei como será nossa vida agora. Terei que parar de trabalhar para cuidar dele — diz Luzinete, que é empregada doméstica e, atualmente, sustenta a família.
A mulher de Antônio, Luzinete, é amparada, ao saber que o marido perderá as duas pernas
A mulher de Antônio, Luzinete, é amparada, ao saber que o marido perderá as duas pernasFoto: Urbano Erbiste / Extra

Para Quezia, uma das principais preocupações agora é como dizer ao pai que ele precisará, daqui em diante, de uma cadeira de rodas.
— Nas últimas duas semanas, conversei bastante com ele sobre a amputação. Ele estava mais confortado porque sabia que receberia uma prótese e que poderia continuar a andar. Não sei como dizer ao meu pai que ele nunca mais voltará a caminhar — diz, muito emocionada, a jovem, que faz curso de técnica de enfermagem. — Estou pedindo a Deus que conforte o coração dele, assim como está confortando o nosso.
De acordo com Quezia, o hospital escalou quatro seguranças para ficarem em volta da maca dele, na saída do centro cirúrgico:
— Horas após a segunda cirurgia, um médico conversou com a minha mãe e disse que o estado do meu pai é grave. Mas ele sequer citou por que amputaram a perna direita.
Hospital vai apurar
A assessoria de imprensa do Pedro Ernesto afirmou, por meio de nota, que o paciente apresentava “infecção em ambos os membros inferiores, mais proeminente à esquerda”.
Segundo Quezia, seu pai tinha uma lesão na perna direita, mas de menor gravidade:
— Os médicos nunca disseram que seria necessário amputar a perna direita.
O hospital não explicou por que a perna esquerda do paciente, com uma lesão grave, não foi amputada na primeira cirurgia, mas apenas após as queixas da família.
A direção informou que vai apurar as circunstâncias do procedimento, por meio de processo administrativo.

LEIA A NOTA DO HOSPITAL PEDRO ERNESTO NA ÍNTEGRA
A Coordenação de Assistência Médica do Hospital Universitário Pedro Ernesto (HUPE/UERJ) informa que no tocante à operação cirúrgica a que foi submetido o paciente A.C.S.V., a Unidade de Ortopedia prestou os seguintes esclarecimentos iniciais:
O paciente portador de nefropatia crônica, diabetes, arteriopatia obstrutiva grave e infecção em ambos os membros inferiores, mais proeminente à esquerda, com colonização por germen multirresistente, evoluiu com quadro de septicemia, sendo realizada amputação bilateral dos membros inferiores em nível infrapatelar, de forma sequencial. Findo o procedimento o paciente foi encaminhado ao CTI Geral para a recuperação pós-operatória, encontrando-se estável.
A Direção do Hospital irá apurar formalmente as circunstâncias que deram ensejo ao procedimento através de processo administrativo específico. Relatórios detalhados estão sendo solicitados aos serviços envolvidos.


Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/rio/paciente-foi-preparado-para-amputar-perna-esquerda-mas-ficou-sem-as-duas-10262610.html#ixzz2gzbtwNYn

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Pode ocorrer infecção', diz médico sobre furo no bumbum de ex-modelo


O drama da jovem de 33 anos, moradora de Santos, no litoral de São Paulo, que sofre com um buraco que apareceu em seu bumbum após colocar uma prótese de silicone, a ponto de temer por sua vida, traz à tona a dúvida: o problema é tão grave que pode causar a morte, caso ela não consiga ajuda? O G1 conversou com um especialista sobre o assunto.
Segundo o cirurgião plástico do Hospital Sírio-Libanês e coordenador do Capítulo de Implantes de Silicone da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Alexandre Mendonça Munhoz, podem, sim, haver complicações graves. "Pode ocorrer infecção crônica, desenvolvimento de bactérias resistentes a antibióticos habituais, necrose da pele local e, em último caso, a progressão da infecção para o organismo, uma infecção sistêmica", explica.
Um agravante é a síndrome do cólon irritável que L.V.S., que prefere não se identificar, diz estar sofrendo, devido ao nervoso por que tem passado. Ela conta que vai frequentemente ao banheiro e tem evacuado sangue. "Teoricamente isso pode complicar a situação, uma vez que é uma região potencialmente contaminada e existe um orifício na pele, bem próximo da região anal", diz o cirurgião.
Munhoz explica que a técnica para o implante de silicone nas nádegas é relativamente recente, o que pode contribuir para ocorrerem complicações. "Os implantes de silicone, como qualquer material sintético colocado no organismo, podem evoluir com reação local, seroma, infecção e deslocamento. Na cirurgia de mama, há mais de 50 anos de evolução, com aprimoramento técnico por parte dos cirurgiões e implantes de última geração. E mesmo assim, as complicações, embora raras, também existem. Nos implantes para a região glútea, a grande maioria das técnicas é recente, 10 a 15 anos, e são poucos os cirurgiões que têm experiência. Além disso, a área glútea é diferente da região mamária e mais propícia a problemas, pela maior movimentação e por ser uma região de apoio do corpo. Apesar de existirem excelentes cirurgiões e com bons resultados, do ponto de vista estatístico, essa região é mais propensa a complicações locais", conta.
Ex-modelo já venceu concursos antes de colocar silicone no bumbum (Foto: Arquivo Pessoal)Ex-modelo já venceu concursos antes de colocar
silicone no bumbum (Foto: Arquivo Pessoal)
O cirurgião diz ainda que as chances de aparecimento de um furo no bumbum, como o que aconteceu com a jovem, são pequenas. "O seroma é um acúmulo de líquido e pode ocorrer após qualquer cirurgia. É mais comum em regiões que apresentam maior movimentação ou no pós-operatório no qual não se realiza os cuidados adequados, como repouso. Todavia, mesmo seguindo todas as recomendações, há uma incidência de aproximadamente 1% a 3%. Isso no caso da cirurgia mamária com silicone, pois não há estudos controlados para operações na região glútea. Na presença de seroma tardio, depois de um ano, há a suspeita de infecção associada. Se ocorrer no ponto mais próximo da prótese com a superfície da pele, pode evoluir para uma depressão local ou 'buraco'. Na cirurgia de mama esse evento é mais raro ainda (0,5%) e a evolução é semelhante ao que ocorreu com a jovem", explica.
Munhoz acredita que a situação de L.V.S. pode ser revertida com o tratamento adequado. "É necessária a retirada dos implantes de silicone; a coleta de material da secreção ou seroma, para identificar a bactéria, no caso de infecção; e tratamento com o antibiótico adequado para o caso. Em um período de seis meses a um ano, uma nova cirurgia reparadora local. Há excelentes cirurgiões em Santos, e com experiência em implantes de silicone. Como já foi colocado para a paciente, existe a necessidade da retirada das próteses. Mas a complicação local, que às vezes pode ocorrer, não necessariamente está relacionada a um erro por parte do médico", conclui.
Relatório médico pede troca da prótese de silicone  (Foto: Mariane Rossi/G1)Relatório médico pede troca da prótese de silicone (Foto: Mariane Rossi/G1)
Fonte G1Link: http://glo.bo/1g6uHM3